domingo, 3 de abril de 2011

Homenagiado do mês

Essa seção irá a cada mês homenagiar um personagem histórico. Pessoas que ao longo de suas vidas fizeram ações que marcaram a história. Bem, para começar, vamos homenagiar alguem que é muito criticado, muito elogiado, e que, melhor de tudo, é brasileiro. O homenagiado esse mês é:
Getúlio Vargas! Personagem da nossa (e quando eu digo nossa, é nossa mesmo) História. Nascido em 19 de abril de 1882, no interior do Rio Grande do Sul,  filho de Manuel do Nascimento Vargas e de Cândida Francisca Dorneles Vargas. Enquanto jovem Getúlio alterou alguns documentos para parecer que havia nascido em 1883 (por que ele fez isso a Legião infelizmente não consegue expicar). O político gaucho Pinheiro Machado foi um dos primeiros a perceber que Getúlio tinha aptidão para a política.
 Ah! Só pra constar, o pai de Getúlio era militar. Talvez seja por esse motivo que Getúlio primeiro tentou seguir a carreira militar, tornando-se em 1898 soldado na guarnição de seu municipio natal. Com a patente de sargento, Getúlio participou da Coluna Expedicionária do Sul, que se deslocou para Corumbá em 1902, durante a disputa entre a Bolívia e o Brasil pela posse do Acre.  Sua passagem pelo exército e sua origem militar influenciaram na decisão de empenhar-se a modernizar as Forças Armadas, reequipa-las, mante-las disciplinadas, e afasta-la da política, quando chegou a presidência em 1930.
 Depois da passagem pelo exército, matriculou-se em 1904, na Faculdade Livre de Direito de Porto Alegre, atual UFRGS, onde bacharelou-se em Direito em 1907.
 Entrou para a carreira política em 1909, como deputado estadual pelo Partido Republicano Riograndense, e de lá, acabou parando na Presidência da República em 1930.
 Vale ressaltar, que Getúlio não chegou a Presidência pelo voto do povo, mas sim por um movimento revolucionário que o colocou no poder com o cargo de provisório. Somente foi efetivado em 1934, eleito por voto indireto, através da Assembleia que elaborou a constituição de 1934. Em 1937, deu um golpe de Estado, na qual continuou no poder nos moldes de uma ditadura, que de certa forma era popular uma vez que Getúlio tinha popularidade entre as massas. Essa ditadura, chamada de Estado Novo, só foi abaixo em 1945. Entretanto, Getúlio ainda retornaria ao poder, e dessa vez pelo voto do povo, em 1950, de onde saiu
em 1954, quando se suicidou.
A charge acima não foi colocada por acaso. Ela mostra a esperteza de Getúlio durante o Estado Novo (daí ele ter talento para a política). Em 1937, Getúlio tendia para os regimes Nazifascistas, chegando até a construir laços de amizade com esses governos. Já em 1941, com a pressão norte-americana no Brasil, Getúlio tende para o lado "cidadão" da coisa, declarando os instintos de liberdade, chega até a declarar guerra aos seus antigos parceiros. A tendência de liberdade e igualdade foi tão grande que Getúlio chegou a virar "camarada" em 1945. Mas não adiantou, ele foi deposto de todo jeito.
Como presidente Getúlio trouxe algumas conquistas aos trabalhadores (daí ele ser popular entre as massas), mas Getúlio também favoreceu as elites, senão ele jamais teria ficado no poder. Getúlio também  deu algumas contribuições para a indústria e para o petróleo no Brasil. Por ser, como já dissemos no início, uma personalidade tão elogiada e tão criticada ao mesmo tempo, dedicamos esse espaço para que você leitor pudesse saber um pouco mais sobre ele: Getúlio Dorneles Vargas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário